SERVIÇOS

SECRETARIAS

CALENDÁRIO DE EVENTOS
« SETEMBRO/2016 »
DSTQQSS
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930
INFORMATIVO ONLINE

Receba as novidades da Prefeitura regularmente por e-mail. Cadastre-se

PUBLICAÇÕES
Símbolos Municipais

BANDEIRA

A bandeira é dividida em quatro partes pela cruz.

O Brasão do centro simboliza o governo executivo e o legislativo, e o losângulo representa a cidade-sede.

As faixas que saem do losângulo representam o poder que parte do Centro e se irradia por todo o Município.Brasão

 

BRASÃO

Um brasão de armas é o símbolo de um País, Estado ou Município.

A parte superior do Brasão de Sumaré lembra uma coroa onde aparecem cinco torres, para lembrar que o Brasil foi colonizado por Portugal.

O chapéu com asas simboliza o comércio.

É chamado de chapéu de Mercúrio, porque o deus grego Mercúrio era protetor do comércio.

A vaquinha simboliza uma das grandes riquezas de Sumaré, que durante muito tempo foi a pecuária.

A engrenagem lembra a indústria, que também está representada dentro dessa engrenagem de fábrica.

No meio do escudo estão quatro orquídeas, recordando a flor que deu o nome de Sumaré à cidade.

Ao redor das orquídeas temos uma imitação de tijolos, que lembram a existência de muitas olarias na cidade desde os tempos mais antigos.

Ao lado esquerdo temos um pé de algodão florido e, ao lado direito, um pé de cana de açúcar, simbolizando duas fortes riquezas agrícolas do município.

As duas datas, 1868 e 1953, lembram a fundação da cidade e a elevação a Município.


Hino de Sumaré

Contemplando o passado distante,
Estendido no chão da memória,
Encontramos o passo imigrante
Iniciando um caminho de glória

Sobre o solo fecundo o labor
Semeou a sementes de fé
Das sementes nasceu uma flor
E esta flor se chamou SUMARÉ

Esse tempo escreveu a saudade
A esperança no sonho floriu
Hoje, bela, fulgura a cidade
Que a paisagem do amor coloriu

Nas escolas as crianças aprendem,
Soletrando o abc do amanhã
São luzes que risos acendem
São os sóis de uma nova manhã

Do passado fechada cortina
Hoje olhando o progresso fulgir
Nossa vista, feliz, descortina
O horizonte dum grande porvir

No ideal a colméia formou-se
Sob o lema de paz e união
E o trabalho febril transformou-se
Numa doce e formosa canção.

Letra: Antonio Zoppi
Música: Osvaldo Urban

Paço Municipal: (19) 3399-5100 | Rua Dom Barreto, 1.303 - Centro - Cep: 13.170-001 | Centro Administrativo: (19) 3399-5700
Copyright ©
By Novidade Comunicação
www.sumare.sp.gov.br - Todos os direitos reservados